Em caso de necessidade utilize o

Fale Diversidades ou o Canal de Denúncias

dos Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Rua Castro Alves, 398 - Bairro Rio Branco

CEP 90430-130 - Porto Alegre - RS

(51) 3330-9784 - (51) 3332-3127

comunicacao@escoteirosrs.org.br

Segunda à sexta 8h15 às 18h

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

Oficina de Comunicação aborda temática da comunicação não violenta

O Congresso Regional Escoteiro recebeu no sábado (4) a Doutora em Comunicação e Professora da Feevale, Cristine Kauffmann, que ministrou a Oficina de Comunicação na qual foram abordados os aspectos da comunicação não violenta.

 

Cristine conta que, antes de qualquer coisa, acha importante a sociedade aprender sobre o Movimento Escoteiro. Compreender o funcionamento dele para além dos estereótipos para, só assim, entender o esforço do Movimento para melhorar o mundo e atualizar seus posicionamentos ao acompanhar as mudanças culturais e sociais que estão acontecendo.

 

Segundo a professora o Congresso foi um momento importante para compartilhar conhecimento, dialogando com os participantes em um processo colaborativo de construção de conhecimento. Além disso, Cristine acredita que o maior esforço foi trazer uma dimensão mais amplificada da comunicação, mais complexa, e menos focada na dimensão técnica que é, de modo geral, mais disseminada.

 

“Fiquei feliz com as falas de alguns adultos que conseguiram perceber o quanto nós temos o potencial de violência na nossa comunicação e gostei muito das falas dos adultos que estão olhando pra esse jovem como um ser cheio de potência e dotado de sabedoria. Saber que estão dispostos a, de fato, construir coletivamente.  Flexibilizar os precessão hierárquicos, ainda que eles façam parte do movimento, não significa que alguém manda e alguém obedece, mas que esse movimento é construído coletivamente e eu acredito que, aos poucos, essa classificação entre jovem e adulto vai sendo flexibilizada nesse diálogo.”, conta.

 

Cristine acrescenta que exercitar a comunicação não violenta de alguma forma, fazer exercícios mais sistemáticos e encontros onde o tema seja abordado, não apenas em palestras, faz a comunicação entrar no dia-a-dia das pessoas para que ela faça mais sentido.

 

Foto: Marx Jaguszewski 

Texto: Nathalia Kerkhoven 

Confira todas as fotos no Flickr

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Please reload