Em caso de necessidade utilize o

Fale Diversidades ou o Canal de Denúncias

dos Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Rua Castro Alves, 398 - Bairro Rio Branco

CEP 90430-130 - Porto Alegre - RS

(51) 3330-9784 - (51) 3332-3127

comunicacao@escoteirosrs.org.br

Segunda à sexta 8h15 às 18h

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

Agrupamentos atendem 2 mil pessoas no Camporee

18.1.2019

Em um evento da magnitude do 6º Camporee Sul, as atividades são a parte mais esperada para os jovens mas uma boa alimentação é fundamental para participar de tudo com a energia e animação necessárias. Para isso, o Camporee conta com 14 agrupamentos de cozinha, responsáveis por alimentar cerca de 2600 participantes.

 

Para o coordenador dos agrupamentos, Mário Muraro, essa tem sido uma experiência muito gratificante e tranquila. Segundo ele, a maioria das pessoas da equipe não se conheciam e algumas delas nunca haviam participado de um evento escoteiro desse porte. “As cozinhas têm uma rotina movimentada o dia todo, mas todos são muito organizados e o trabalho tem fluído bem”, afirmou.

 

O Agrupamento Raposa está cozinhando para cerca de 200 pessoas de quatro cidades do Rio Grande do Sul. Para Isabete Pelizzari, a experiência de cozinhar para esses escoteiros tem sido prazerosa e divertida. A equipe de cozinha do agrupamento é composta por mães e pais dos jovens, assim como escotistas: "Adquirir experiências e acompanhar os jovens mais de perto são alguns dos motivos que fizeram com que eu e as outras cozinheiras a saíssemos de casa para realizarmos este trabalho voluntário", diz Pelizzari.

 

Maior agrupamento do 6º Camporee Sul, o Agrupamento Pegasus, veio de São Paulo para cozinhar para 430 pessoas. Desses, cerca de 40 possuem necessidades especiais de alimentação, como alimentos sem lactose, sem glúten ou comida vegana e vegetariana. Para atender a essa necessidade sem contaminar as refeições dos participantes, o agrupamento está cozinhando em dois espaços separados. 

 

De acordo com Irene Takada, responsável pelo Agrupamento Pegasus, o desafio é atender a todos os gostos e entender todas as particularidades na alimentação desses escoteiros, mesmo que a equipe não compartilhe das mesmas necessidades. “A ideia de cozinhar com mais cuidado para estas pessoas surgiu de um módulo no Congresso de Educação Escoteira. O comum é que as pessoas vegetarianas, veganas, intolerantes ao glúten e à lactose se adaptem ao cardápio ‘normal’. Mas porque não olhar para elas com exclusividade?”, explicou.

 

Todas as equipes de cozinha têm trabalhado durante todo o dia para oferecer o melhor possível aos jovens e adultos participantes do 6º Camporee Sul. Para o escotista Germano Brendler, do Agrupamento Pavão, é fundamental que, em eventos como esse, os jovens possam se preocupar apenas com as atividades do programa, para que possam aproveitar ao máximo.

 

 

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Please reload