Em caso de necessidade utilize o

Fale Diversidades ou o Canal de Denúncias

dos Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Rua Castro Alves, 398 - Bairro Rio Branco

CEP 90430-130 - Porto Alegre - RS

(51) 3330-9784 - (51) 3332-3127

comunicacao@escoteirosrs.org.br

Segunda à sexta 8h15 às 18h

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

Depressão Infanto-juvenil é tema de painel para voluntários

Foi realizado no dia 20 de outubro, no Escritório Regional em Porto Alegre, o Painel de Prevenção à Depressão Infanto-Juvenil. O encontro tratou sobre as situações de bullying e suicídio, a maneira de identificar os sinais de depressão e o papel do escotista em como identificar e agir para apoiar o jovem que passe por esse processo.

 

A sociedade ainda enfrenta uma grande dificuldade em tratar deste tema, seja no ambiente escolar ou familiar. Em certos momentos ele vem a tona com mais relevância, seja em séries de TV, por meio de desafios virtuais, ou no caso de pessoas famosas que cometem suicídio. Ainda que a depressão seja um tabu a ser discutido, ela é uma realidade cada vez mais comum das salas de aula, grupos sociais, cursos de idiomas, atividades esportivas e também no Movimento Escoteiro. Sendo o escotismo um espaço de liberdade para o jovem, o Movimento tem uma responsabilidade muito grande em ser um espaço de referência e apoio aos adolescentes.

 

Segundo o escotista e coach Carlos Almada, a atuação do escotista é fundamental para que este tema seja conversado de maneira franca e fraterna junto dos jovens. Estimular o sistema de patrulha, a troca de ideias e o diálogo entre os jovens também é um meio de criar um ambiente de confiança e auxílio. "O escotista deve ter um papel fraterno, e não autoritário em sua tropa, sempre demonstrando preocupação e afeto. Desta forma quando um jovem demostrar certos pensamentos de alerta, a abertura ao diálogo será quase que natural", explica Almada.

 

 

O indivíduo que comete suicídio, na maioria das vezes, já demonstra sinais no decorrer do tempo. Estima-se que 90% das pessoas que passam por depressão tentam capturar a atenção de quem os rodeia, isso ocorre por meio da auto flagelação, manifestação de publicações em redes sociais como “quero sumir”, “quero dormir e não acordar mais”, “o mundo seria melhor sem mim”, além de mudanças comportamentais e de exclusão social.

 

Por isso é importante que os voluntários das Unidades Escoteiras Locais estejam atentos aos sinais que os jovens podem indicar. Conversar sobre bullying na Tropa e promover encontro com as famílias e psicólogos para tratar sobre o desenvolvimento das crianças e adolescentes são algumas das ações simples que podem ser realizadas nos Grupos.

 

Luiza Aiolfi, pioneira do Grupo Escoteiro Videira de Bento Gonçalves e atual integrante da Equipe Regional Pioneira, levou o sobre Projeto de Insígnia de BP sobre Depressão para o 3º Moot Interamericano no Peru. O projeto de Luiza foi o único projeto brasileiro que teve aplicação junto da comunidade durante 0 Moot. Segundo Luiza o escotismo precisa ser visto como um lugar onde o jovem se sinta a vontade para falar o que pensa, possa desabafar e sentir-se acolhido.

 

"Ver as crianças entenderem a importância de falar sobre os sentimentos me fez ver que estava no caminho certo para continuar este trabalho. É uma doença que ainda é vista como tabu, muitos jovens não falam sobre isso e quando estão no escotismo evitam mais ainda. Justamente pelo fato do Grupo ser um lugar onde você se sente mais feliz e acolhido, você não quer falar sobre isso nesse momento, mas assim que acaba a atividade tudo volta ao normal", conta Luiza.

 

 

 

Para todos que passam por depressão uma maneira prática de obter apoio é ligar no 188, o Centro de Valorização da Vida (CVV), este é um serviço nacional de apoio. Nos municípios o apoio pode ser obtido por meio dos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e nas Secretarias Municipais da Saúde. O Rio Grande do Sul é um dos estados com maior índice de suicídios no Brasil, alcançando mais de mil mortes autoprovocadas por ano. Os dados mais recentes, de 2015, indicam um suicídio a cada 8 horas no Rio Grande do Sul. A estimativa é de 30 tentativas por dia em todo o estado.

 

Confira algumas dicas importantes que podem auxiliar no processo de prevenção e apoio:

- Procure um lugar tranquilo e reserve o tempo necessário para que o amigo possa se abrir;

- Ouça-o com calma, expressando respeito pelas opiniões e valores dele, sem julgamento;

- Demonstre preocupação e afeto;

- Não tente minimizar a situação e o sofrimento do amigo, fazendo o problema dele parecer “simples” ou comparando-o com outras pessoas;

- Tente permissão para avisar alguém de escolha da própria pessoa sobre a situação, não a deixando sozinha;

- Procure ajuda profissional e garanta apoio nesse processo.

 

O painel também foi notícia na TV Pampa, confira abaixo.

 

 

 

Confira também os documentos oficias dos Escoteiros do Brasil sobre Proteção Infanto-juvenil

BULLYING – O Que Todos Devem Saber No Grupo Escoteiro

Ficha Técnica BULLYING

Declaração contra o Bullying – Região Interamericana

Proteção Da Criança e do Adolescente – Orientações Sobre Como Proteger e Prevenir Abusos – Manual Para Escotistas

Proteção Da Criança e do Adolescente – Orientações Sobre Como Proteger e Prevenir Abusos – Manual Para Pais

 

O Painel de Prevenção à Depressão Infanto-Juvenil foi promovido pela Região Escoteira do Rio Grande do Sul, mediado pelo escotista e coach Carlos Almada, além de contar com a presença dos especialistas no tema, Psiquiatra Dr. Emmanuel Manter e as Psicólogas Djulia Pierozan e Erika Moriguchi Jeckel Rolim. Confira todas as fotos no Flickr dos Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul.

 

 

 

 

 

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Please reload