top of page

Agrupamentos atendem 2 mil pessoas no Camporee


Em um evento da magnitude do 6º Camporee Sul, as atividades são a parte mais esperada para os jovens mas uma boa alimentação é fundamental para participar de tudo com a energia e animação necessárias. Para isso, o Camporee conta com 14 agrupamentos de cozinha, responsáveis por alimentar cerca de 2600 participantes.

Para o coordenador dos agrupamentos, Mário Muraro, essa tem sido uma experiência muito gratificante e tranquila. Segundo ele, a maioria das pessoas da equipe não se conheciam e algumas delas nunca haviam participado de um evento escoteiro desse porte. “As cozinhas têm uma rotina movimentada o dia todo, mas todos são muito organizados e o trabalho tem fluído bem”, afirmou.

O Agrupamento Raposa está cozinhando para cerca de 200 pessoas de quatro cidades do Rio Grande do Sul. Para Isabete Pelizzari, a experiência de cozinhar para esses escoteiros tem sido prazerosa e divertida. A equipe de cozinha do agrupamento é composta por mães e pais dos jovens, assim como escotistas: "Adquirir experiências e acompanhar os jovens mais de perto são alguns dos motivos que fizeram com que eu e as outras cozinheiras a saíssemos de casa para realizarmos este trabalho voluntário", diz Pelizzari.

Maior agrupamento do 6º Camporee Sul, o Agrupamento Pegasus, veio de São Paulo para cozinhar para 430 pessoas. Desses, cerca de 40 possuem necessidades especiais de alimentação, como alimentos sem lactose, sem glúten ou comida vegana e vegetariana. Para atender a essa necessidade sem contaminar as refeições dos participantes, o agrupamento está cozinhando em dois espaços separados.

De acordo com Irene Takada, responsável pelo Agrupamento Pegasus, o desafio é atender a todos os gostos e entender todas as particularidades na alimentação desses escoteiros, mesmo que a equipe não compartilhe das mesmas necessidades. “A ideia de cozinhar com mais cuidado para estas pessoas surgiu de um módulo no Congresso de Educação Escoteira. O comum é que as pessoas vegetarianas, veganas, intolerantes ao glúten e à lactose se adaptem ao cardápio ‘normal’. Mas porque não olhar para elas com exclusividade?”, explicou.

Todas as equipes de cozinha têm trabalhado durante todo o dia para oferecer o melhor possível aos jovens e adultos participantes do 6º Camporee Sul. Para o escotista Germano Brendler, do Agrupamento Pavão, é fundamental que, em eventos como esse, os jovens possam se preocupar apenas com as atividades do programa, para que possam aproveitar ao máximo.


114 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page