Mês da Mulher | Mulheres no Escotismo


Você conhece a trajetória das mulheres no Movimento Escoteiro? Ao longo do século cada vez mais mulheres alcançam espaços de liderança no escotismo. Hoje as atividades em conjunto de meninos e meninas é uma realidade tão comum que chega a ser curioso pensar que um dia o escotismo foi apenas para rapazes. Aliás, você sabia que a as atividades integradas entre meninos e meninas começou no Ramo Pioneiro aqui no Rio Grande do Sul? Conheça abaixo alguns destaques sobre a participação das mulheres no Movimento Escoteiro.

GUIDISMO, UMA ASSOCIAÇÃO PARALELA: Durante o Primeiro Encontro de Escoteiros, em Londres, diversas garotas apareceram se autoproclamando escoteiras e pedindo para BP incluí-las no Movimento Escoteiro. Entretanto, garotas e mulheres não foram incluídas no ME junto com os rapazes – em vez disso, foi criada uma associação paralela ao Movimento Escoteiro, o Guidismo, própria para garotas que queriam ser escoteiras, porém com atividades significativamente diferentes.

PRIMEIROS PASSOS DENTRO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO: A partir de 1916, mulheres passaram a poder fazer parte do Movimento Escoteiro. Entretanto, só eram aceitas mulheres adultas, e a única função possível para elas era a de chefiar alcateias.

WAGGGS - ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE GUIAS E ESCOTEIRAS: A WAGGS foi fundada em 1928 por Lady Olave Baden-Powell e por Agnes Baden-Powell durante a 5ª Conferência Internacional Escoteira. Sua fundação é importante pois estabelece um órgão mundial responsável por dar assistência ao movimento das Guias internacionalmente. O Brasil tornou-se membro oficial da WAGGGS em 1930.

O PRIMEIRO CLÃ MISTO DO BRASIL: O Ramo Pioneiro foi o primeiro a aceitar garotas como jovens dentro do Movimento Escoteiro. Desde 1963, o Clã Pioneiro do GE Georg Black 1/RS já realizava atividades mistas. Em 1968, seu Clã tornou-se o 1º Clã Misto do Brasil e realizou sua primeira reunião oficial, com a presença de 14 pioneiros, 7 pioneiras e 6 escotistas. A partir disso, também foi autorizada a organização de Clãs Mistos experimentais no Rio de Janeiro e em Curitiba.

A CO-EDUCAÇÃO: A implantação da co-educação no escotismo brasileiro, realizada de 1979 a 1982, foi um processo que tinha como objetivo comportar mutuamente meninos e meninas dentro do Movimento Escoteiro no Brasil. É a partir dele que foram aceitos oficialmente alcateias, tropas e clãs mistos, depois de mais de 70 anos da fundação do Escotismo.

#FaleDiversidades: Você sabia que os Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul possuem um canal exclusivo para ouvir os associados sobre os temas de Diversidades? É o FALE! Diversidades! O FALE! Diversidades é um espaço de acolhimento que tem como proposta fornecer um auxílio adequado a jovens e adultos escoteiros que estejam passando por problemas individuais e/ou em seus Grupos Escoteiros em temáticas de diversidades como preconceito racial, de gênero, LGBT, ou outro que você sinta a necessidade de desabafar e obter apoio. Saiba mais bit.ly/falediversidades. Em caso de dúvidas você pode entrar em contato no email fale.diversidades@escoteirosrs.org.br.

#Diversidades #MêsdaMulher

0 visualização
  • Branca Ícone do Flickr
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branco Facebook Ícone

Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul

Rua Castro Alves, 398 - Bairro Independência

CEP 90430-130 - Porto Alegre - RS

(51) 3330-9784 - (51) 3332-3127

2020 | Escoteiros do Brasil - Rio Grande do Sul